Rupes ibrid dos pobres

Olá malta!

Ora aqui vai uma engenhoca de quem está sempre a inventar.
Como eu, muitos de vós certamente passa a vida a ver grandes trabalhos feitos por profissionais, mas para nós torna-se impraticável o investimento num brinquedo tipo ibrid da Rupes para polimentos em zonas mais pequenas, mas que em tantas ocasiões nos daria jeito.

Ora, lembrei-me de usar a minha DREMEL que tenho lá, por casa e comprei uns acessórios e tcharam!!!


Agora parar um pouco para reflectir:
1- Esta máquina é apenas rotativa
2- Tem rotações até 33.000 rpm (!!!) vs 5.000 da ibrid

Deixo aqui mais umas fotos dos vários acessórios que usei:



Feedback:

1. Para quem pensa que isto substitui uma ibrid: ESQUEÇAM (nunca usei uma ibrid mas tenho a certeza que não é isto!! :eek:)
2. Não me responsabilizo :D
3. Esta bodega não tem binário (torque) nenhum, logo basta desencostar um pouco e lá vai líquido para todo o lado, se pressionam demais, entra em "stall" ou seja, pára e começa a fumegar!
4. Hologramas, upa upa que aparecem em segundos.
5. Não se pode utilizar muito tempo seguido porque como não tem binário começa a aquecer bastante.
6. Por fim, é um espectáculo!!! Depois de se lhe apanhar o jeito, faz-se umas coisas bem engraçadas (+ uma vez não me responsabilizo, isto gira à velocidade da luz e aquece a pintura num piscar de olhos)!



Eh pá, para quem nunca vai ter uma ibrid e quer dar uns retoques engraçados, é um brinquedo que tem a sua piada. Agora....não me responsabilizo !! :D

Se quiserem mais dicas estou ao dispor!
 
lá engenhoso és tu, mas é como dizes , é preciso cuidado com isso porque deve queimar a pintura num abrir e fechar de olhos :D
 
33.000 em vazio....vá... aquilo basta encostar e fazer mais pressão e pára.
Agora com treino, encontrando aquele "sweet spot", com uma velocidade mais parecida a de uma rotativa, lá se vai conseguindo.

Tem uma particularidade, como tem muito pouca força, tem de se trabalhar com mais líquido do que o habitual.
 
Top